Açores – O que visitar

Ilha do corvo
O arquipélago português dos Açores é constituído por nove ilhas diferentes, criadas por erupções vulcânicas há milhares de anos. Está situado no centro do oceano Atlântico, a 1500 km de distância da costa portuguesa e a cerca de 4000 km de distância da América do Norte.

Existem inúmeros locais para visitar nas ilhas dos Açores. Os mais fascinantes são, sem dúvidas, criação da Mãe Natureza. Todavia, quase seis séculos de ocupação e de colonizadores de diferentes origens fazem com que a vida destas ilhas não fosse “natural” sem a sua história. O mar oferece pontos maravilhosos para explorar, de barco ou para se aventurar debaixo de água. Em terra dispõe de virtuosas cidades, maravilhas arquitectónicas, lagoas naturais e vulcões adormecidos. Aventure-se!

O arquipélago dos Açores é, assim, constituído por nove ilhas principais divididas pelos seguintes três grupos.

Grupo Oriental:

Ilha de S. Miguel

Esta é a ilha considerada a mais importante do grupo. Nela está instalado actualmente o Governo Regional dos Açores. Aqui, na cidade de Ponta Delgada visite as inúmeras igrejas, mosteiros, conventos e os famosos fortes do século XVI. Vá até à marina, passeie e descanse nos cafés ao longo da avenida principal. Os olhares sobre o mar e sobre toda a envolvente da ilha vão afagá-lo. Na parte oeste da ilha de São Miguel encontra a Lagoa das Sete Cidades. É um duplo lago composto pelas lagoas Verde e Azul, ligadas por canal pouco profundo atravessado por uma ponte baixa sobre a qual passa a estrada de acesso à freguesia das Sete Cidades. Um pouco por toda a ilha conte com inúmeras quedas de água, com as famosas lagoas de água azul e com florestas adensadas ao longo de crateras vulcânicas extintas. A origem vulcânica dos Açores tem a sua expressão máxima nesta ilha, no Vale das Furnas, onde se faz o famoso cozido, cozinhado debaixo da terra sob o calor dos vulcões. Conheça as águas quentes da “Ferraria” nas piscinas naturais – e todas as maravilhas criadas pela acção vulcânica desta zona. Siga até à Ribeira Grande e fascine-se com a Serra de Água de Pau, um maciço montanhoso com um pico imponente.

Ilha de Santa Maria

Em Santa Maria vá até à vila de São Lourenço e desfrute de uma lindíssima praia e uma piscina natural, ideal para relaxar. Elas encontram-se no sopé de uma colina coberta de vinhedo de onde provém o famoso vinho de São Lourenço. Santa Maria orgulha-se do seu clima mais seco e ameno, da sua praia de areia ligeiramente mais clara do que o apresentado no restante arquipélago, considerando-se, assim, a opção perfeita para desfrutar de um dia de Verão memorável.

O Grupo Oriental inclui também um grupo de rochedos e recifes oceânicos, situados a nordeste de Santa Maria, chamados ilhéus das Formigas, ou simplesmente Formigas, que fazem parte da Reserva Natural do Ilhéu das Formigas, um dos locais mais importantes para conservação da biosfera marinha no nordeste do Atlântico.

Grupo ocidental:

Ilha do Corvo

A Ilha do Corvo é a menor das ilhas do Arquipélago dos Açores e faz corresponder a totalidade do seu território a uma única povoação com cerca de 400 habitantes, a Vila do Corvo. Ela constitui-se por um aglomerado de casas baixas com ruas estreitas e tortuosas que sobem as encostas, perfazendo um belo cenário ancestral. Toda a vila é um verdadeiro museu vivo, também classificado como conjunto de interesse público, onde as pessoas mais antigas preservam no falar expressões arcaicas únicas com uma evolução linguística muito própria. Junto ao aeroporto existem os típicos moinhos de vento do Corvo, classificados como imóveis de interesse municipal.

A não perder é a fantástica paisagem que se tem do Miradouro do Pão de Açúcar, assim como do Caldeirão, a cratera central da ilha, com as suas lagoas e turfeiras. Esta última é muitas vezes considerada uma das mais belas paisagens dos Açores, integrando o Parque Natural da Ilha do Corvo.

Ilha das Flores

A Ilha das Flores é considerada como o ponto mais ocidental da Europa. Cobrindo-se de milhares de hortênsias de cor azul, que dividem os campos ao longo das estradas, nas margens das ribeiras e lagoas, a ilha é, por muitos, considerada das mais belas do arquipélago. Observe a sua espantosa flora, o seu terreno acidentado e essas paisagens invulgares que a tornam num infindo jardim. Deslumbre-se ainda com as sete crateras extintas, com as suas íngremes encostas cheias de vegetação luxuriante e serenas águas azuis.

Grupo central:

Terceira

Nesta ilha conheça a capital Angra do Heroísmo e todos os monumentos e edifícios históricos que a compõem. Esta bela cidade é famosa pelo seu planeamento urbano renascentista, com ruas direitas perfeitamente preservadas. Esta característica, juntamente com a beleza dos seus palácios e igrejas, foi reconhecida pela UNESCO como Património da Humanidade.

Prossiga até à Praia da Vitória, desfrute de um bom dia de sol e aproveite para conhecer as soberbas falésias que protegem a costa. Uma vez na Terceira não pode perder a maior cratera do arquipélago, a Caldeira de Guilherme Moniz, com um perímetro de 15 km. Outro ex-líbris da ilha é a zona dos Biscoitos, onde é produzido vinho. Aqui encontra um interessante Museu do Vinho, que expõe fotografias, alfaias tradicionais e documentação associada à produção vinícola.

Ilha do Pico

A fantástica ilha do Pico é assim chamada devido ao seu “pico”, uma majestosa montanha vulcânica que atinge os 2 351 metros de altitude, a Montanha do Pico. Aproveite a oportunidade e faça um belo passeio até ao apelidado “Pico pequeno” ou “Piquinho” e gabe-se, pois subiu até ao ponto mais alto de Portugal. Não obstante, fascine-se pelas vistas e deite um olhar sobre a paisagem esplendorosa do arquipélago.

Ilha de S. Jorge

Na ilha de São Jorge, existem várias cidades costeiras para visitar, com numerosos monumentos de elevado interesse histórico, embora muitos estejam em ruínas devido à actividade sísmica da ilha. Porém, toda a ilha, do ponto de vista paisagístico, é considerada profundamente monumental. A sua cobertura vegetal dominada pelas florestas Laurisilva, a paisagem agrícola, as arribas, falésias e fajãs, assim como as construções religiosas, civis e militares, são pontos que mostram claramente a magnificência da história e tradições desta ilha.

A nível gastronómico, embora inclua muitas de outras tradições gastronómicas partilhadas por outras ilhas dos Açores, S. Jorge guarda ainda características únicas e segredos próprios.

Entre os pratos tradicionais e exclusivos da ilha de São Jorge estão aqueles confeccionados com amêijoas, visto esta ser a única ilha dos Açores onde esta espécie existe na natureza. O Queijo de São Jorge é um dos produtos mais afamados da ilha, sendo exportando um pouco para todo o mundo. Ele é curado durante vários meses e a sua receita e composição apenas é conhecida por alguns, tornando assim a receita tradicional quase secreta. O seu sabor é algo agreste e está profundamente ligado à alimentação do gado.

Ilha do Faial

No fascinante Faial, a Horta é a principal cidade. Ela tem sido ao longo dos tempos um ponto de paragem estratégico, não só para quem cruza o Atlântico mas para marinheiros dos quatro cantos do mundo. Tal facto faz com que a marina se encontre até aos nossos dias repleta de barcos e iates, tornando a cidade num porto bem animado e multicultural. A marina encontra-se numa baía protegida e é também conhecida pelas Pinturas das Paredes do Molhe, criadas pelos “lobos-do-mar”. Aqui não pode deixar de visitar o lendário Peter’s Café Sport, onde poderá adquirir lembranças e tomar uma reconfortante bebida, enquanto fraterniza com os viajantes e as suas alucinantes histórias!

Na ilha realçamos também as suas praias e as suas famosas caldeiras. Sugerimos que visite a “Caldeira do Faial”, classificada como Reserva Natural. Trata-se de uma maravilhosa lagoa azul gerada por uma cratera extinta, que se encontra rodeada de uma vegetação riquíssima.

Suba ainda ao Monte da Guia e desfrutar de uma paisagem incrível sobre a Horta.

A Ponta dos Capelinhos também é famosa por ter entrado em erupção no ano de 1957.

Ilha Graciosa

A paisagem da Graciosa é de grande beleza, conjugando o verde das pastagens com o branco das casas isoladas e das povoações. O “ex libris” da ilha é uma formação rochosa de grandes dimensões, deparada em frente ao farol da Ponta da Barca, com uma configuração muito parecida com uma baleia vista de perfil. O Monumento Natural Regional da Caldeira da Graciosa é uma formação de origem vulcânica localizada em Santa Cruz da Graciosa que aqui também evidenciamos.

Actividades

Uma vez nos Açores não deixe de usufruir de algumas das muitas actividades disponíveis. As suas inúmeras praias, o terreno acidentado, a história ecléctica e o imenso mar proporcionam-lhe a oportunidade se manter activo durante as suas férias. Se pretende desfrutar de uns dias tranquilos, poderá fazê-lo, pois os Açores são conhecidos pelo seu ambiente sereno. Porém se prefere um pouco de actividade e adrenalina, o arquipélago também têm muito por onde escolher, desde os campos de golf aos desportos radicais. Por entre esse leque de escolhas, sugerimos uma relaxante viagem de barco com a observação de baleias incluída. Os Açores encontram-se entre os dez melhores locais do mundo para observação de baleias, por isso aproveite!

Viaje até aos Açores e deixe-se acolher pela sua intensa serenidade e beleza.

Galeria de Imagens dos Açores

Conheces este local? Deixa-nos a tua sugestão!

Conheces este local? Deixa-nos a tua sugestão!

Powered by Facebook Comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>