Tag Archives: Grutas de Mira de Aire

As “7 Maravilhas Naturais de Portugal”

O que visitar em as “7 Maravilhas Naturais de Portugal”

Por entre um tão vasto e riquíssimo leque de opções oferecidas por este pequeno mas requintado território nacional, objectivaram-se 21 candidatos iniciais. Estes, sujeitos a uma votação que decorreu por telefone e pela Internet, aliaram quase 660 mil Portugueses nesta missão gloriosa mas de difícil escolha. Assim, por entre a lista de candidatos foram eleitos 7, um por cada categoria a concurso: Zonas Aquáticas Não Marinhas; Praias e Falésias; Florestas e Matas; Grandes Relevos; Grutas e Cavernas; Zonas Marinhas e Zonas Protegidas. O anúncio dos resultados da votação foi feito nas Portas do Mar, em Ponta Delgada, nos Açores na noite de 11 de Setembro de 2010.

Assim, os seguintes, lugares de inquestionável valor e inadiável visita, oficialmente são as “7 Maravilhas Naturais de Portugal”.

Lagoa das Sete Cidades, Açores (Zonas Aquáticas Não Marinhas)

Na zona oeste da Ilha de São Miguel, no complexo vulcânico da Sete Cidades, encontra-se o maior lago de água doce do arquipélago dos Açores, que ocupa mais de 4km quadrados de área. Este é um lugar único onde fotógrafos vindos de todo o mundo se deliciam com o que a natureza tem para lhes dar. Se uma simples objectiva se regala com tanto encanto natural, imagine o que por lá não se regozijava você, para além de todas as maravilhas que nos oferece os Açores?!

Portinho da Arrábida (Praias e Falésias):

A um saltinho de Setúbal, encontra-se o Portinho da Arrábida, uma magnífica baía, considerada a “jóia do litoral da Arrábida”. Esta é uma praia em forma de concha inserida no Parque Natural da Arrábida. Aqui a areia fina e as águas cristalinas abrigadas dos ventos do norte, chamam turistas de todo o país que, sempre que lá voltam, facilmente se deixam encantar e se remetem a longínquas ilhas paradisíacas.

Floresta Laurissilva, Madeira (Florestas e Matas):

Esta é a maior concentração em todo o mundo deste tipo de floresta. Como o próprio nome indica (em latim, Laurissilva significa floresta de loureiro) trata-se de plantas da família das Lauráceas, que se dão bem com o clima sub-tropical da Madeira como Louro, Til, Barbusano e Vinhático. Classificada como Património Natural da UNESCO, esta floresta é composta por espécies raras e específicas, incluindo fauna a flora ameaçadas à escala europeia.

Ilha do Pico (Grandes Relevos):

Declarada, pois, uma das 7 Maravilhas Naturais de Portugal, a Paisagem Vulcânica da Ilha do Pico, nos Açores, é caracterizada pela Montanha do Pico. Lá do alto dos seus 2351 metros, majestosa e soberba, é o ponto mais alto de Portugal e a terceira maior montanha que emerge no Oceano Atlântico.

No topo da montanha há uma cratera com 700 metros de perímetro e 30 metros de profundidade, originada pela natureza exclusivamente basáltica das lavas do Pico, para além de um “cone lávico” de 70 metros, designado por Piquinho. Em redor do vulcão, um dos maiores activos do Atlântico, a paisagem é muito rica do ponto de vista geológico. Aqui também a flora rara, com estatuto de protecção, merece destaque, assim como a base da montanha, estando esta repleta de vinhedos incrivelmente trabalhados pelo Homem, classificados como Património Mundial da UNESCO.

O acesso ao topo é possível de carro apenas até aos 1200 metros. O restante percurso é feito em escalada mas uma vez no topo a paisagem é exorbitante. A vista alcança a Ilha do Pico e toda a imensidão do Oceano Atlântico. Em dias de boa visibilidade é possível contemplar as restantes ilhas do grupo central do Arquipélago dos Açores – Faial, Graciosa, São Jorge e Terceira.

Grutas de Mira de Aire (Grutas e Cavernas)

Com uma extensão de 11km por entre as entranhas de calcário do Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros, as Grutas de Mira de Aire sãos as mais visitadas do país, tendo sido descobertas decorria o ano de 1947 por um grupo de aventureiros. Aqui o visitante consegue sentir a adrenalina daquele ano, quando os homens à procura de um pouco de água, descobriram um oásis sob os seus pés.

Ria Formosa, Algarve (Zonas Marinhas):

De todos os tesouros naturais do Algarve, esta é a grande relíquia. A Ria Formosa é um sapal que se estende por uma área de 18.400 hectares, tratando-se de área protegida pelo estatuto de Parque Natural.

Da praia do Ancão à Manta Rota, estende-se por 60 km ao longo da costa do Sotavento algarvio onde se encontram duas penínsulas (Faro e Cacela) e cinco ilhas-barreira (Barreta, Farol, Armona, Tavira e Cabanas). Sendo uma zona húmida, a sua importância como habitat de aves aquáticas é internacional e, por entre outros pontos de interesse, é recortada a norte por salinas.

Parque Nacional Peneda-Gerês (Zonas Protegidas):

O Parque Nacional da Peneda-Gerês é o único parque nacional de Portugal e situa-se no extremo nordeste do Minho, estendendo-se até Trás-os-Montes, desde as terras da Serra da Peneda até a Serra do Gerês – daí a sua designação. É recortado por dois grandes rios, o Rio Lima e Cávado e faz fronteira com a Galiza, abrangendo os distritos de Braga, Viana do Castelo e Vila Real. É uma das maiores atracções naturais de Portugal, pela rara e impressionante beleza paisagística e pelo valor ecológico e etnográfico e pela variedade de fauna (veados, cavalos selvagens, lobos, aves de rapina) e flora (pinheiros, teixos, castanheiros, carvalhos e várias plantas medicinais). Inclui trechos de uma estrada romana que ligava Braga a Astorga, conhecida como Geira. No parque situam-se igualmente dois importantes centros de peregrinação, o Santuário de Nossa Senhora da Peneda, réplica do santuário do Bom Jesus de Braga, e o de São Bento da Porta Aberta, local de grande devoção popular.

Vá e descubra estas maravilhas!